domingo, 23 de dezembro de 2012

O tempo...

Deixe me ver. Os dias chegam lentamente trazendo as mesmas situações cotidianas da época, trazendo-me a certeza de que escolhi muito bem o que desejo para mim. Veja bem, entretanto, esses mesmos dias  trazem a incerteza envolvida com possíveis dolorosas mudanças. Parece que a ampulheta do tempo alterna dias lentos e monótonos com dias que voam a caminho de direções que nada me causam motivo para sorrir. Não há como ficar de boa. Dessa vez a virada na folhinha pode trazer direcionamentos que arquivam de vez os sonhos mais desejados. Pude viver e crer que é possível encontrar quem procuramos. Se não é mais uma história a ser escrita, isso já é coisa a não mais se pensar. Vou seguir a estrada que me leva ao meu mundo e nele fortalecer meu silêncio. Posso dizer que o mundo seria perfeito, sem precisar das futilidades que as pessoas buscam. Meu coração guia meus pensamentos, mostrando-me como seria esse mundo que acreditei poder ser real. A névoa toma conta de meus pensamentos, onde deliciosamente aprendi que devo me calar, não ir além do que posso sonhar. Vou estar sempre bem comigo mesmo, mas as marcas deixam os pensamentos acompanhados das incertezas. Quando o ciclo se fechar, meu mundo quieto vou encontrar e nele, vou viver calado, com um sorriso estampado na face, ao me recordar de cada dia que vivi e 'agi como'.

domingo, 28 de outubro de 2012

Doce leveza

Toma conta de mim algo que se faz real, verdadeiro e incrivelmente especial. Algo sem igual. Quando me afastar do mundo, do não fazer o que não quero, posso encontrar algo que me traga paz, me traga amor e realização do que posso descrever como mágico, intenso e a se desejar permanentemente. Felizmente não necessito descrever, falar demais para entender. Um olhar, um pequeno pensamento e tudo já está muito bem descrito, desenhado na memória e definitivamente traçado no coração. Sensações totalmente opostas ao que o mundo pratica hoje. Simplicidade demonstrando intensidade e preenchendo algo sempre buscado, ainda que não possa imaginar encontrar mais hoje. Quando um dia se pode fazer mais, ter mais, descobrir mais, ao final do dia, saberemos que nada nos tira a sensação de que foi um achado fascinante, meigo e sutil. Gostinho de quero mais. Ah, porque tentar descrever? É um relato simples, que cabe mais viver do que buscar definição. Ser feliz com o que desejamos para nos e não o que desejam que a gente seja ou faça. Sabemos de nossa capacidade e do quanto podemos ir além, mas se nossa vontade é fazer apenas o que desejamos, certamente aí sim reside nossa felicidade. Cada nova surpresa é uma vontade a mais, um querer ainda mais intenso e especial. Simplicidade é a palavra que nos dá base para elevarmos a felicidade em nossos dias e momentos. Não há o que pensar, cada novo dia pode trazer um momento que sonhamos. Viver cada dia e deixa acontecer, pois o que é um forte elo não se desfaz, não se distancia, nem enfraquece. Um amanhecer cheio de poesia sempre virá quando se vive com uma doce leveza.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012


Nesse nosso desbravar
Emanemo-nos amor
Até quando suceder
De silenciar
O que nos trouxe até aqui

                             TM

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Whispers...




Sussurre em meus ouvidos,
Quero sentir tua presença.
Sinta meu abraço,
Diga-me que em nossa estória não cabe adeus.
Descobri a felicidade na simplicidade.
Essa união e sintonia, cada silêncio uma revelação.
Sussurre e o mundo será nosso,
Que nada e nem ninguém adentre em nosso pequeno mundo.
Minha vida elo da tua.
A paz, o sossego, a simplicidade e o retorno que tanto buscamos.

domingo, 23 de setembro de 2012

Humanos?


Certa vez escutei um refrão : “ Quantos mundos mais ele tem que destruir ? ” A partir daí eu analisava : O que existe no ser humano que enxerga somente a maldade, a destruição, sentimentos mesquinhos e total ignorância dentro de si ? Sempre quis entender : Porque o “ser humano” é tão desumano com o seu próprio semelhante ? As pessoas acham que pessoas como Madre Tereza de Calcutá, Betinho, Ghandi, Lady Diana Spencer e outros mais, são pessoas muito especiais, quando na verdade, eles apenas são o que todos nós deveríamos ser... Me envergonha saber que o mundo materialista em que vivemos torna o “ser humano” capaz de negar abrigo, carinho, solidariedade, amor e sentimentos tão nobres a alguém tão semelhante a si, diferenciado apenas pelo poder aquisitivo de bens materiais. É tão lamentável perceber que estes mesmos seres desamparados reviram lixos para seu próprio sustento e de sua família. Épocas como Natal são boas para fazer campanhas solidárias, mas e durante todo o restante do ano ? O ser humano constrói armas pensando em PAZ ? A podridão de nossos governantes nem mais questiono, porém, o que fazemos em prol dessas criaturas que vivem esperando apenas ver dias começarem e acabarem, sem esperança, sem amor, sem respeito e até mesmo sem dignidade ? Infelizmente essa é uma situação que tem feito parte da história deste mundo, que se gaba de tecnologia, de novos milênios e séculos, porém, a vergonha parece não estar atingindo a consciência de nós, pobres e tolos “seres humanos”...
(escrito por Vanderley, mas certamente, pensamento também de muitos “seres humanos” que percebem que ainda podemos fazer algo).  NÃO PODEMOS ??

quinta-feira, 20 de setembro de 2012


Mas que a vida seja sempre bela, tranquila e nos traga motivos para sonhar a cada novo dia...

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Afinal, aprendi a conversar no silêncio. Basta olhar na mesma sintonia!!!

domingo, 9 de setembro de 2012

Sob o silêncio...


Vou buscando num olhar tão longe, acompanhando a linha do horizonte e ainda assim não te sinto ao meu alcance. Velhos planos buscando um mesmo caminho, já sinto tanta saudade, quando olhávamos na mesma direção. 
Onde se encontra a dona do meu coração? 
O silêncio traz perdas irreparáveis  em determinados momentos. Não é como o mesmo silêncio de longas conversas e entendimento. Eu apenas sei que cantarolo esses versos, afinal, ele me traz um pouco de você e sua encantadora forma de ser. A brisa sopra trazendo o anoitecer, me recordo de coisas que novamente queria viver. 
Meu doce terraço, de onde contemplo o luar, subi aqui para te chamar. Me sinto confuso, sozinho e ainda assim sereno. Doce veneno essa sintonia que alimenta e faz viver. Eu apenas sei que tenho lembranças intensamente lindas e onde quer que eu esteja, eu as carregarei comigo. 
Onde quer que eu esteja, por todos os dias de minha vida...
Ainda que eu não realize, tenho a felicidade de ter um sonho. Algo que não mais havia em mim.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

I just want you...


There are no unlockable doors
There are no unwinnable wars
There are no unrightable wrongs or unsingable songs
There are no unbeatable odds
There are no believable Gods
There are no unnameable names,
Shall I say it again?  Yeah
There are no impossible dreams
There are no invisible seams
Each night when the day is through,
I don't ask much
I just want you
I just want you

S2

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Pense com o coração... Acredite no que pode ser muito especial, verdadeiro e intenso!! Vem comigo, preciso de você. Ou mais do que preciso, quero imensamente estar com você. Não permita que o tempo carregue tudo. É um convite convicto, apaixonado e real. Muitos sonhos, muitos planos e muitas certezas. Espero que possa se concretizar a cada novo dia. Te amo!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Intenso desejo...

Sensações infindáveis tomam conta de mim no desejo de tocar sua pele, sentir seu cheiro, doce perfume, fazendo minha respiração se alterar, meu coração bater mais forte. Gosto imensamente de teu beijo, numa vontade de nunca mais separar e a cada novo encontro dos lábios, deliciar de prazer e felicidade. Depois desse beijo, a deliciosa cena de apenas nos olharmos e sorrirmos. Entendermos tudo sem descrevermos uma só palavra. Sorriso feliz, olhar malicioso. Indo de encontro, apenas sentirmos que nada mais existe, que já não há como vivermos afastados, viver sem o abraço e o beijo inflamado. A tola realidade que vem depois não rouba a preciosidade da cena. O despertar não apaga a imensa beleza de um doce e raro conto mágico. Apenas sei o quanto desejo mais e mais, mesmo que de longe, mas pudesse avistar teu olhar, teu sorriso que me fascina, tua suavidade e encanto intenso. Tocar tua pele, envolver teu corpo é algo que descrevo como fascinante, como intenso prazer e doçura. Olho atentamente para tu e fico a admirar minha vontade gigante de te envolver, de te apreciar e querer mais e mais. O quanto sou cuidado por tu é algo que toma conta do meu lado mais doce, mais terno, me sinto protegido, apesar de querer proteger. Cada olhar, cada sorriso, cada toque me faz querer mais e mais. Sei o quanto desejo que o tempo pare nesse instante e eu possa silenciosamente observar você dormir ao meu lado, enquanto dorme sorrindo e fico a imaginar teus sonhos. Por diversas vezes olho o céu, vejo as estrelas e de alguma forma assim, tento me aproximar de você. O vento de momentânea solidão me traz teu cheiro e assim, alivia uma dor que se faz por impossibilidades e distância. Te ver e não poder acariciar, fingir frieza é algo até meio cômico, porque me consumiria nos pensamentos rindo sozinho de não poder fazê-lo. Por não fazer parte de uma escolha, faço desejos que obtenha as mesmas sensações, ainda que ache difícil sem a sintonia que temos. Mas gosto de saber do bem estar, ainda que ciúmes tomem conta racionalmente. Sei apenas que é belo, que desejo a cada novo instante, que guardo no coração momentos incríveis e agradeço a cada novo dia por ter a oportunidade de um dia viver algo tão mágico, incomparável. A qualquer tempo, estou aberto a te doar meu amor, meu coração que te abriga e assim receber o seu. E enquanto isso não ocorre e nem mesmo podemos pensar se ocorrerá, ouço o vento ecoar: "Estou aqui!" Dessa forma, penso somente no hoje e nos dias incríveis que se passaram. VONTADE...


sábado, 18 de agosto de 2012


Saudade...
Saudade...
Saudade...
Saudade...
Saudade...
Saudade...
Saudade...
Saudade...

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Liberdade


Definir liberdade é algo que se terá muitas respostas diferenciadas. A maior parte das pessoas disassociam liberdade de responsabilidade. Com conceitos diversos ligados a natureza humana, definir liberdade na forma mais comum é poder agir de acordo com sua vontade própria, mas entende-se também que é um estado ao qual não somos obrigados a agir como a vontade de outros, não ser 'escravizado', andar a margem de regras. O aspecto de independência, onde não se faz obrigatório uma permissão para fazermos qualquer ato ou ação por parte de outra pessoa, onde o adequado e o inconveniente não é levado em conta. Sejamos simples, sejamos reais, liberdade é você ser você, é não ser movido por vontade alheia, é realizar como gosta, como lhe faz bem e torna-lo satisfeito por si mesmo ser como é. Liberdade, do latim 'liber', é alguém de espírito ativo, com vontade própria. Liberdade requer responsabilidade. Afinal, para respeitarem a sua liberdade, você também delimita espaços a outros. Certamente são conceitos abstratos, de definição não muito fácil. É algo como um paradoxo em conceitos e de aplicação totalmente pessoal. Simplificando, liberdade é você agir como você realmente é, é fazer o que realmente gosta e quer. O que lhe faz bem, é realmente algo que te dá liberdade e a liberdade então, torna-se um modo de vida que te realiza. 

domingo, 12 de agosto de 2012

terça-feira, 7 de agosto de 2012

sábado, 4 de agosto de 2012

Sem medir esforços, fui buscar a lua para presenteá-la. Você que torna o meu singelo mundo, um mundo muito mais brilhante...

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

    Olhar

      Aproximar

        Abraçar

           Envolver

             Sentir o toque

               Sentir o perfume

                  Sentir a suavidade

                      Fechar os olhos e calar

                          Não mais soltar

                             Viajar

                                Adorar . . .

 
       

segunda-feira, 30 de julho de 2012

S2


Ahh.. porque tentam definir o amor?
O que seria o amor na visão de cada um?
O amor não necessita definição...
O silêncio explica muita coisa linda e te faz entender da melhor forma o que é o amor.
São momentos preciosos que serão guardados para sempre.
O amor nem sempre precisa de uma relação, ainda que seja difícil explicar isso.
São raros duas pessoas que possuem entendimento num simples olhar, no silêncio e na sintonia de pensamentos.
O universo conspira e poeticamente junta duas almas que se completam.
A sintonia que os une lhes basta de alguma forma e sabem assim que estão protegidos do mundo, das pessoas.
Sorrir a qualquer instante que lembrar ou estiver com a pessoa amada, visualizá-la em tudo que lhe dá alegria, querer estar lado a lado, querer para sempre, fazer planos, construir uma estória,...
Onde quer que seja, quando for o momento, como for, sempre haverá uma forma de manifestar esse sentimento e em qualquer mínimo detalhe, tudo irá envolver e lembrar a pessoa amada.
Enfim, basta de possíveis definições.
Nesse instante me calo e somente olho para a tela, como se encarasse do outro lado a pessoa tão amada, apoiada, imóvel, me olhando fixamente.
S2


sábado, 28 de julho de 2012

Um dia talvez... ou nunca!

Às vezes, é preciso esquecer um pouco a pressa e prestar mais atenção em todas as direções ao longo do caminho... A pressa cega os olhos. Deixamos assim de observar tantas coisas boas e belas que acontecem ao nosso redor. Às vezes, o que precisamos está tão próximo... Passamos, olhamos, mas não enxergamos! Não basta apenas olhar.
É preciso saber olhar com os olhos, enxergar com a alma e apreciar com o coração...  Quero o simples, quero o quieto, quero o verdadeiro, quero o inseparável. Sei exatamente o que quero!
Estou pronto e muito determinado a qualquer instante para cruzar o caminho longínquo e passar de mãos dadas de encontro a neblina que nos encobre do mundo, mas nos mostra o que tanto no fundo do coração almejamos realizar.
O arco como um portal, pode um dia se fechar, sem qualquer outra chance de passagem...

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Ne me quitte pas

Dias atônito e tantas vezes inerte, um certo cd surge para companhia. Canções especiais, particulares eu diria, começam a entoar uma vontade de escrever. Talvez mais um texto daqueles impublicáveis, mas a falta de um ouvinte me levou a opção de conversar comigo e meus pensamentos. As letras contam estórias, bem próximas de uma vivida. Aliada a melodias tão tocantes, deixei continuar, ainda que melancólico. Sentimento a flor da pele, vontade de estar ainda mais isolado em meu cantinho, mas distante de casa no momento, me escondo em sorrisos não tão espontâneos. Simples palavras mudariam radicalmente essa situação, mas estou me direcionando ao que aprendi recentemente. Para terem noção do fluir do feeling nesse instante, como fundo para escrever, a canção do momento é Axel Rudi Pell - All the rest of my life. O som parece "encostar em minha pele", causa-me arrepio. Em certos períodos da vida, as músicas, os filmes e enfim, tudo nos remete a alguém especial. Canções selecionadas que possuem letras e melodias coincidentes com a fase. Talvez pelo nosso próprio estilo e caracteristicas que as buscamos. Mas  muito além de músicas, esse texto é mais uma de minhas conversas. Ele tem conteúdo de sentimentos, lembranças, desejos e incertezas. Algumas certezas infelizmente desfavoráveis. Mundo insano, vida que nos remete em segundos da felicidade e planos a tristeza e inércia. Uma carga gigante, um turbilhão em meu interior. A paz escorre entre as dúvidas. Saberei guardar tanta magia e cultivar em todo o meu viver, mas no momento isso é tomado por tantas sensações que jamais desejei. Sentimentos nos tomam de forma intensa quando se é verdadeiro, real, pois ainda que saibamos de percalços e impossibilidades, a entrega se faz maior que o racional. Nunca desejei algo complexo. A simplicidade era a base de tudo que sempre desejei. Pessoas se afastam numa velocidade a sumirem de nossas vidas. Entretanto, quando se doa, se entrega de forma a se jogar de cabeça no que se acredita, a construção de algo que cria um mundo singelo e familiar, é a maravilha desejada em meus sonhos. As canções continuam a criar trilha para um romance e ainda que belíssimas, o pensamento foge, vai distante, mas agora sabe que a letra mais próxima da realidade é sobre impossibilidade, final, dúvidas, medo, incertezas e não mais um conto de fadas. Nada tão bom quanto um contato surpresa, ser achado inesperadamente e dormir com um bom sorriso na face.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Allouette


Mon amour, au je vois la lune briller
Porquoi tu vas maintenant partir
Lá-bas la nuit est encore
C'est la reine du monde
Reste plus une seconde, reste plus une seconde
Viens avec moi
La lumière du jour nous decouvrira
Et seulement la nuit nous cachera
C'est l'amour impossible que le monde n entend rien
Reste plus un moment, reste plus un moment
Reste avec moi
Alors, tu t'es trompé
Il a été le rossignol qui tu as fait réveiller
Même l'alouette qui porte pour nous le jour
Reste plus une seconde,
Oublie le monde
Viens avec moi

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Rosa de Saron

Quantas vezes me sinto sozinho
Procurando sem saber o que
Me perdendo, pelo caminho
Por favor onde anda você?
Quantas vezes me vejo no espelho
E não sei mais responder quem sou
Fico correndo atrás do tempo
Que um dia o medo me roubou
Sinto sua falta
Agora entendo
Peço segure firme a minha mão
Se de você estou distante
Ao meu redor só vejo escuridão
Uma voz rompe o silêncio
Que havia dentro do meu coração
Vem transformando, o sentimento
Me mostrando qual a direção...
E você me aceita de volta
E me diz que nada mais importa
Eu só quero estar de novo com você
Estar com você...

domingo, 24 de junho de 2012

Dá-me o prazer dessa dança?

Caminhe em direção ao nosso mundo. Resgate cada momento, cada boa lembrança e as deliciosas sensações. Dance ao meu lado. Uma dança de sintonia, de afinidade, de paixão e sedução. Delete tudo ao seu redor e mergulhe de cabeça e alma naquele pequeno e simples mundo mágico, onde somente o tempo e a realidade roubam o que há de muito especial. Entregue cada pulsar de seu corpo, de sua alma e seus mais íntimos desejos, embalados por uma música que penetra nas veias, toma os ouvidos e soam como sussurros de prazer e arrepio. Contemple um salão, onde dance para seduzir quem te olha atentamente e com teu doce charme, conquiste a realização de seus mais doces e profundos desejos. Isolados das pessoas e de toda a falsidade, entregue-se de corpo e alma ao que te move, te invade, te toma de vontade e pode ser que um dia, não mais esteja próximo. Caminhe em direção. Ache, agarre, não perca de vista uma dança que mexe com você. Tome folego, respire profundamente, apague-se do mundo externo e sinta, busque dentro de si. Nesse exato minuto, estou tomando-lhe nos braços pra uma dança definitiva e infinita.

Musicando o amor...

Iniciei esse relato como se estivesse entoando um melodia, queria fazê-lo transparecendo o quanto é suave e alegre os momentos mais especiais de nossos dias. Então, acho que essa melodia soaria mais ou menos assim: "Minha doce flor, como é doce teu sabor e em tuas caricias me resgatei, de um mundo sem cor, amparado pelo amor. A paz que nos envolve, é como tudo se resolve. Como explicar essa vontade de mais e mais, estórias assim sem iguais. Apenas sei dizer, fez meus sonhos florescer e em cada pensamento, trago nosso momento a tona, sensação que emociona". De repente desafino na melodia, mas certamente não desafinaria no amor e na atenção. Acho que seria algo assim, pois as palavras não dimensionam o quanto todos os fatos, todas nossas palavras e atos são incrivelmente intocáveis, irreparáveis. Melhor seria apenas fechar os olhos e imaginar, sem necessidade de falar. Em cada cena um poema. Em cada linha uma emoção e a simplicidade e verdade que a tudo conquistou. Melhor seria estar num local distante, silencioso e naturalmente, livres. Tento aprender que o tempo é um criador de surpresas e gentilmente, ele nos trás novidades a cada novo dia. Não há porque tentar adivinhar, não tem jeito. Deixar florescer toda a verdade e assim, saber o que está reservado.

sábado, 23 de junho de 2012

No more master...

O tempo não perdoou. Foi implacável e os rumos definiram-se como uma tempestade que chegou carregando o que via a frente. Como em meio a um tornado fui levado atônito, ainda que acompanhasse o mesmo se aproximando em minha direção. Talvez ainda não tenha passado o pior. É como se ainda não tivesse caído ao ser levado inesperadamente, mas o fato de estar em meio a turbulência não é algo que desejava. Como se estivesse numa região deserta, sento-me e acompanho ao longe tudo o que foi carregado e devastado, tornando o silêncio a companhia. Ventania carregando o que havia de sonhos e possibilidades. E temendo novos ventos, não reconstruí mais nada, deixando assim o vazio tomar conta, o silêncio gritar mais alto e não entender o porque do vento sempre soprar em direção oposta ao que almejo. Sem temer, na solidão, ainda desejo que o vento sempre sopre de forma amena, me fazendo assim, sentir sua presença, mesmo que distante, onde tanto desejei permanecer, only master.